Projeto socioambiental em Santa Catarina divulga existência de áreas protegidas ainda pouco conhecidas pela comunidade local

Roteiro Geoecológico contribui para o fortalecimento do potencial turístico da região e a educação interdisciplinar na natureza
download

A Fundação SOS Mata Atlântica e a Repsol Sinopec Brasil apresentam os resultados dos projetos apoiados por edital de 2019, que teve como objetivo colaborar com o aumento do engajamento e presença da sociedade em Unidades de Conservação (UCs) públicas e privadas da Mata Atlântica e seus ambientes marinhos. As iniciativas selecionadas receberam, ao todo, R$ 300 mil, e realizaram atividades de pesquisa, voluntariado, qualificação de jovens, protagonismo feminino, observação de aves, ciência cidadã, entre outras. Foram 10 iniciativas apoiadas, entre elas o projeto “Unidades de Conservação da Costa de Araranguá – difundindo a natureza local com o Roteiro Geoecológico“, de Araranguá (SC).

O projeto teve como objetivo divulgar a existência e a importância das Unidades de Conservação (UCs) da Costa de Araranguá decretadas em dezembro de 2016, como resultado do Projeto Orla. São elas: o Monumento Natural do Morro dos Conventos, a Área de Proteção Ambiental da Costa de Araranguá e a Reserva Extrativista do Rio Araranguá. Porém, essas áreas ainda eram desconhecidas pela sociedade.

Este trabalho é feito por meio do Roteiro Geoecológico, implantado no início de 2017 com apoio da ONG Sócios da Natureza e do Fundo Socioambiental CASA, porém subutilizado para fins didáticos e sem manutenção, necessitava de reforma. Na prática, o roteiro consiste em painéis distribuídos em cinco pontos de interesse geoecológico e um ponto de localização, na forma de um percurso, em que o público obtêm informações e interpreta o ambiente natural ainda no local visitado. O roteiro fortalece o potencial turístico da região e a educação interdisciplinar na natureza, indo além dos muros das escolas e universidades. Com isso, é esperado maior engajamento e interação com a comunidade.

O projeto contemplou ciclos de palestras ao público geral e cursos de formação continuada aos docentes. Mais de 700 pessoas participaram dos eventos promovidos. Em ambas iniciativas são aplicados questionários buscando sugestões, dúvidas e críticas à temática apresentada e para coleta de informações sobre o conhecimento acerca dos instrumentos de conservação e ordenamento abordados, que serão também a base para a adequação dos conteúdos dos painéis.

Entre as principais conquistas do projeto, está o conhecimento obtido pela sociedade sobre as UCs da região. Foram 10 palestras à comunidade, desde instituições de ensino até associações de moradores. Outro ponto marcante foram os dois cursos aos docentes locais, que passaram a conhecer estes espaços e ajudaram a criar o novo layout dos painéis do Roteiro Geoecológico, que foram refeitos e instalados no início de 2020. Na reforma buscou-se além de atender as demandas dos professores e comunidade envolvida, utilizar materiais de maior durabilidade e houve também relocação do ponto de localização, otimizando o trajeto, que pode ser observado no mapa abaixo.

No decorrer das atividades, algumas histórias marcaram os organizadores do proieto. Na escola da comunidade do Morro dos Conventos, um aluno, neto de pescador, explicou durante a palestra como seu avô efetuava a pesca cooperativa com os botos na barra do rio Araranguá, atividade extinta atualmente. O mesmo ocorreu na comunidade de Ilhas, onde os pescadores tradicionais relataram seus anseios e pesares sobre este tipo de pesca, bem como suas hipóteses para a extinção desta atividade, que é o descaso e uso inadequado da área. Neste vídeo os pescadores contam esta história, bem como o fato de darem nome aos botos que frequentavam a região.

O município de Araranguá localiza-se no litoral sul do estado de Santa Catarina. Equidistante da capital Florianópolis (220 km) e de Porto Alegre (240 km), no Rio Grande do Sul, a costa de Araranguá guarda um grande patrimônio natural e paisagens belíssimas ainda pouco conhecidas. Fazer com que essas áreas sejam mais valorizadas e apropriadas pela população é um dos objetivos do projeto. A região é composta por um mosaico de ambientes abióticos, formações do Bioma Mata Atlântica e sítios arqueológicos. Somados a isso, as lagoas costeiras, o rio Araranguá e o Morro dos Conventos formam um cenário com enorme potencial educativo, científico e turístico.

Um dos mecanismos mais efetivos para garantir a continuidade desses benefícios é a criação, manutenção e gestão das Unidades de Conservação (UCs) terrestres ou marinhas e públicas ou privadas. Porém, para garantir a conservação dessas áreas também é importante valorizar a presença nesses espaços e engajar a sociedade, seja pela participação nos conselhos ou em projetos de pesquisa, educação ambiental ou visitação.

“O processo foi muito gratificante, pois o retorno da comunidade foi positivo, estimulando a continuidade de ações visando a conservação e divulgação da natureza local. Estes atores envolvidos nas palestras são também multiplicadores da divulgação e valorização dos espaços protegidos“, afirma Samanta Cristiano, bióloga, doutora em Ciências e responsável técnica do projeto.

 

Sobre a Fundação SOS Mata Atlântica

A Fundação SOS Mata Atlântica é uma ONG ambiental brasileira criada em 1986 para inspirar a sociedade na defesa da floresta mais ameaçada do Brasil. Atua na promoção de políticas públicas para a conservação da Mata Atlântica por meio do monitoramento do bioma, produção de estudos, projetos demonstrativos, diálogo com setores públicos e privados, aprimoramento da legislação ambiental, comunicação e engajamento da sociedade em prol da restauração da floresta, valorização dos parques e reservas, água limpa e proteção do mar. Os projetos e campanhas da ONG dependem da ajuda de pessoas e empresas para continuar a existir. Saiba como você pode ajudar em www.sosma.org.br.

 

Sobre a Repsol Sinopec Brasil

A Repsol Sinopec Brasil é uma companhia brasileira que faz parte do Grupo Repsol, empresa de energia e mobilidade que está presente em mais de 50 países e atua em toda a cadeia de valor: exploração e produção, transformação, desenvolvimento e marketing energético eficiente, sustentável e competitivo. Pioneira na abertura do mercado e na exploração do pré-sal brasileiro, a Repsol Sinopec é atualmente uma das empresas que mais produzem petróleo e gás no Brasil. Com atividades nas bacias de Campos e Santos, a carteira de ativos inclui três campos produtivos – Sapinhoá, Lapa e Albacora Leste – e blocos exploratórios com grande potencial.

 



Assessoria de Imprensa