Repsol Sinopec Brasil desenvolve projeto com embarcação autônoma e drone para monitorar campos de produção offshore

Sistema inovador vai identificar vazamentos de óleo no mar e coletar dados metoceanográficos para alimentar modelos de dispersão de óleo
download

A Repsol Sinopec Brasil em parceria com o Laboratório LEAD do Grupo de Simulação e Controle em Automação e Robótica (GSCAR) da COPPE/UFRJ, a TideWise e a Farol Serviços, está desenvolvendo um projeto inovador para a indústria de óleo e gás: um sistema autônomo para identificar possíveis vazamentos de óleo no mar, em ambiente offshore, e coletar dados metoceanográficos para alimentar modelos de dispersão de óleo.

A solução do projeto é um trabalho em conjunto de uma embarcação autônoma e um veículo aéreo não tripulado (VANT) autônomo, que consiste em um sistema de comunicação integrado de dados que gera informações relevantes para uma tomada de decisão mais rápida e eficaz. Um vazamento seria detectado por meio de inspeção visual através de câmeras específicas instaladas nesse veículo aéreo, mais conhecido como drone.

De acordo com o engenheiro naval Higuel Norões, gerente do projeto na TideWise, empresa brasileira de desenvolvimento de embarcações e sistemas robóticos, a inovação deve contribuir para uma rápida resposta de acionamento das embarcações empregadas na operação de contenção e limpeza, evitando impactos no meio ambiente. A duração prevista do projeto é de 18 meses, e um protótipo deve participar de testes em julho do próximo ano.

Para Rafael Coelho, diretor da TideWise, o projeto ARIEL explora a fronteira do conhecimento na área de robótica. “O uso de embarcações autônomas é uma tendência mundial, inclusive dentro da indústria offshore. Estamos integrando dois veículos autônomos para realizar uma tarefa única de maneira colaborativa. Essa tecnologia está sendo explorada pelos centros de pesquisa mais avançados do planeta, e ainda não existe uma solução vigente”, relata o engenheiro.

A gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Repsol Sinopec Brasil, Támara García, destaca que o objetivo principal deste sistema é ser utilizado para apoiar planos de emergência. “Haverá aumento de eficiência dos sistemas de monitoramento de vazamentos de óleo e, consequentemente, diminuição dos custos e riscos associados a esta tarefa”. Também visionamos utilizar a tecnologia em campanhas de inspeção dos mais variados equipamentos, conclui.

Outro grande ganho do projeto é eliminar alarmes falsos de qualquer incidente de vazamento de óleo, evitando assim, os custos desnecessários de mobilização da equipe de contenção e limpeza, adiciona Marcelo Andreotti, responsável pelo projeto na Repsol Sinopec Brasil.

Além dessas empresas, a Farol Serviços, contribui através do estudo para a regulamentação da embarcação autônoma e do VANT, que serão utilizados no projeto. O Diretor da empresa, Vinícius Vieira, considera que o resultado deste projeto poderá ser um marco na introdução do uso de embarcações autônomas, para o monitoramento de acidentes ambientais, tanto para operações no Brasil, quanto em atividades Offshore em outros locais no mundo.



Assessoria de Imprensa