Repsol Sinopec Brasil, Ouro Negro e PUC-Rio ampliam parceria tecnológica

O novo acordo tecnológico prevê o desenvolvimento de uma ferramenta de perfilagem (TTilt), inserida dentro da coluna de produção (logging through tubing), para avaliação da qualidade do cimento em poços revestidos.
download

Acreditando no modelo de inovação aberta na cadeia produtiva de óleo e gás como a forma de gerar soluções otimizadas que contribuam para a sustentabilidade das operações dessa indústria, a Repsol Sinopec Brasil, a Ouro Negro e o Departamento de Engenharia Mecânica do Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio) ampliaram sua parceria tecnológica firmada no primeiro semestre. O novo acordo prevê o desenvolvimento de uma ferramenta de perfilagem (TTilt), inserida dentro da coluna de produção (logging through tubing), para avaliação da qualidade do cimento em poços revestidos.

“A proposta é ter uma ferramenta que possibilite detectar anomalias do cimento na camada adjacente e não apenas na camada mais próxima à ferramenta, como ocorre com as soluções disponíveis no mercado, evitando assim a remoção da coluna de produção para realizar essa operação”, explica Tamara García, Gerente de Pesquisa e Desenvolvimento da Repsol Sinopec Brasil. Em uma visão mais simplista, enquanto a tecnologia atual permite que se ‘enxergue’ a integridade do cimento apenas quando este se encontra mais próximo à ferramenta, a solução que será desenvolvida pelos três parceiros possibilitará ter uma ‘visão’ mais potente, indo além de uma única parede. “O potencial é enorme, tanto no abandono quanto nas intervenções de poços”, complementa.

De acordo com o CEO da Ouro Negro, Eduardo Costa, a ideia é que o TTilt seja futuramente incorporado ao Wellrobot®, tornando ainda mais autônomo o sistema. A necessidade de realizar intervenções no poço será reduzida, com todos os custos e impactos que essas operações acarretam. Isso porque o robô fica permanentemente instalado no poço, analisando e, repassando os dados continuamente para o topside do FPSO, para um ROV ou mesmo para um AUV que esteja passando pela região para coletar dados”, explica o executivo. “O TTilt já seria extremamente disruptivo. Sua incorporação ao Wellrobot® e todas essas outras possibilidades levariam essa disrupção a um patamar hoje inimaginável, mas perfeitamente possível”, complementa Tamara Garcia.

O professor Arthur Braga, do Departamento de Engenharia mecânica do CTC/PUC-Rio, que conduz essa parceria pela universidade, observa que as operações de tamponamento e abandono (P&A) apresentam enormes desafios técnicos e econômicos para a indústria de óleo e gás. “Para ser permanentemente abandonado, o poço deve ser vedado hidraulicamente de forma a isolar o reservatório e outras formações portadoras de fluido, evitando vazamentos para o seu entorno e potenciais desastres ambientais de larga escala”, explica. “Daí a importância em desenvolver tecnologias para avaliar a integridade do cimento e sua capacidade de vedação”, conclui.

A parceria tripartite é vista como estratégica pela Repsol Sinopec. “O exemplo recente de outras indústrias mostrou que a colaboração entre universidades e empresas de tecnologia trazem resultados mais impactantes. Nesse contexto, a Repsol Sinopec Brasil vem buscando o desenvolvimento de tecnologias desde conceitos fundamentais até a sua aplicação em campo, de modo a atingir inovações realmente disruptivas, que tanto precisamos para nossa indústria”, finaliza Tamara García, Gerente de Pesquisa e Inovação da Repsol Sinopec Brasil.

 

Sobre a Repsol Sinopec Brasil
A Companhia brasileira atua no seguimento de exploração e produção de petróleo e gás e é parte do Grupo Repsol. Ocupa posição estratégica nas áreas de maior potencial do pré-sal brasileiro com atividades nas Bacias de Santos e Campos. Sua carteira de ativos inclui três campos produtivos, Albacora Leste, Sapinhoá e Lapa, e blocos exploratórios de grande potencial. Nos últimos quatro anos, a Repsol Sinopec investiu mais de 150 milhões de reais em projetos de P&D para tomar decisões com mais precisão e segurança, gerando energia de maneira mais sustentável e eficiente.

Sobre a Ouro Negro
Empresa de tecnologia com foco no desenvolvimento de soluções inovadoras para as atividades de E&P da indústria de óleo e gás, a Ouro Negro disponibiliza soluções de monitoramento da integridade de equipamentos e estruturas, sistemas integrados de completação inteligente de poços, engenharia submarina, soluções baseadas no uso de laser de alta potência, sistemas robóticos para inspeção e operação em poços e subsea e inteligência computacional para a gestão da integridade de ativos. www.ouronegro.com.br

Sobre o Centro Técnico Científico da PUC-Rio (CTC/PUC-Rio)
O CTC/PUC-Rio é um dos quatro Centros da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), agregando cerca de 5 mil alunos, 140 laboratórios de ponta e aproximadamente 300 professores, a maioria de tempo integral e com doutorado no exterior. Ele engloba dez cursos de graduação em Engenharia, Sistemas de Informação, Ciência da Computação, e os bacharelados em Química, Matemática e Física. Na pós-graduação, além dos tradicionais mestrados e doutorados acadêmicos, o CTC oferece ainda o Mestrado em Metrologia, Qualidade, Inovação e Sustentabilidade (Pós MQI) e os Mestrados Profissionais em Engenharia Urbana e Ambiental e o de Logística. De acordo com os resultados da última avaliação CAPES (2013-2016), dos 12 programas do CTC avaliados, cinco conquistaram nota máxima e outros três ficaram apenas um ponto abaixo, confirmando a PUC-Rio como referência de qualidade de ensino no Brasil e no exterior. Ciência, tecnologia e inovação estão presentes no dia a dia de todas as atividades do CTC, que tem como meta principal oferecer à sociedade brasileira formação de excelência em recursos humanos, além de pesquisas e soluções de nível internacional, equiparando-se às melhores universidades do mundo. www.ctc.puc-rio.br



Assessoria de Imprensa